Perda Auditiva

Aqui você irá encontrar fatos sobre a sua saúde e perda auditiva. Nosso objetivo é educa-lo sobre a perda auditiva, como evitar se possível e ajudá-lo a descobrir se você ou algum ente querido já está mostrando sintomas sem perceber. Mesmo se você já perdeu um pouco da audição, nós temos muitas soluções auditivas que podem lhe ajudar a restaurar a beleza dos sons da vida. Comece agora a cuidar da sua saúde auditiva.

Como nós ouvimos?

Como nós ouvimos os sons? Aqui acompanharemos um rápido resumo de como nossa audição funciona:

Orelha Externa

Conhecido como pavilhão, essa porção visível da orelha capta os sons que circulam no ambiente e os envia para o canal auditivo.

Orelha Média

A vibração da membrana timpânica (tímpano) transmite o som para a orelha interna por meio de três ossículos (martelo, bigorna e estribo) que levam o som para a orelha interna.

Orelha Interna

Composta por duas partes: cóclea – complexo sistema de células ciliadas (células sensoriais) e o sistema vestibular que envia o som para o cérebro realizar a última etapa do processamento.

Ear-diagram-cut-a-way-schematic_1470px

Tipos de perda auditiva

Perda auditiva Sensorioneural

Esse tipo de perda auditiva envolve deterioração da orelha interna. As células ciliadas que estão na passagem da orelha e que carregam o som estão danificados. Esse tipo de perda auditiva é causado comumente por exposição prolongada a altos níveis de volume, bactérias e infecções virais, acúmulo de fluído, trauma repentino na orelha e processo natural de envelhecimento. A perda auditiva sensorioneural não pode ser tratada com medicamentos ou cirurgias – aparelhos auditivos são o único meio de tratar essa condição permanente.

Perda auditiva induzida pelo ruído

Esse tipo de perda auditiva pode afetar qualquer um em qualquer idade. A perda auditiva induzida pelo ruído (PAIR) é causada pela exposição a volumes altos que danificam e destroem as células ciliadas na orelha interna. A PAIR pode ser resultante de uma simples exposição a um impulso sonoro extremamente alto (ex: um tiro próximo a uma orelha desprotegida) ou tempo de exposição regular a sons que excedam 85 decibels (dB). Exemplos de como a PAIR pode ocorrer durante o tempo incluem ouvir música no volume máximo por meio de fones de ouvido ou trabalhar com maquinário de construção sem utilizar protetores auriculares.

Perda auditiva condutiva

Esse tipo de perda auditiva ocorre quando a orelha interna não recebe propriamente os sinais sonoros. Isso pode ser causado por lesão na orelha média ou no canal auditivo, acúmulo de fluído por trás do tímpano, ou excesso de cera. A perda auditiva condutiva geralmente pode ser tratada com medicamentos. Se a cirurgia ou medicação não forem opções para você, aparelhos auditivos poderão ser excelentes soluções para seu problema auditivo.

Perda auditiva súbita

A perda auditiva geralmente aparece progressivamente de acordo com a idade (presbiacusia) ou a PAIR. No entanto, certas condições podem causar perda auditiva súbita, inclusive a exposição a sons extremamente altos que causam dano imediato, certas doenças, tumores, danos à cabeça ou uso de medicamentos ototóxicos. Na maioria dos casos, a audição irá voltar com o tempo, por si só ou por meio de intervenção médica, mas para alguns casos, a perda auditiva pode ser permanente.

Happy-family-forest_2496x900

Sinais de perda auditiva

Os sinais da perda auditiva podem levar anos para se desenvolverem ou podem aparecer repentinamente. De qualquer forma, eles podem tornar o dia a dia mais difícil. Se você se responder afirmativamente alguma das perguntas abaixo, você pode apresentar algum sintoma de perda auditiva.

Contate o fonoaudiólogo mais próximo para mais informações

Você:

  • Precisa que as palavras sejam repetidas frequentemente?
  • Possui dificuldade em acompanhar conversas envolvendo mais de duas pessoas?
  • Pensa que os sons estão abafados ou as pessoas parecem estar sussurrando?
  • Tem dificuldade de ouvir em ambientes ruidosos, como conferências, restaurantes, shoppings ou salas de reuniões lotadas?
  • Tem problemas em ouvir crianças e/ou mulheres?
  • Utiliza TV ou rádio em um volume alto?
  • Responde inapropriadamente durante as conversas?
  • Possui zumbido em suas orelhas?
  • Lê os lábios ou precisa prestar mais atenção nas pessoas quando falam?
  • Se estressa por não entender o que os outros estão dizendo?
  • Se sente irritado com outras pessoas porque você não consegue ouvi-las ou entendê-las?
  • Evita ambientes sociais que você já não consegue acompanhar a conversa por causa da dificuldade em ouvir?
  • Possui histórico familiar de perda auditiva?
  • Possui problema de diabetes, coração, circulação ou tireóide?
  • Foi exposto a sons muito intensos por um grande período ou exposto a um ruído explosivo mesmo que uma única vez?

Como funcionam os aparelhos auditivos?

Um aparelho auditivo consiste basicamente de um ou dois microfones, um amplificador e um alto-falante, também chamado de receptor.

Os microfones captam as ondas sonoras recebidas e transforma-as em sinais elétricos. Esses sinais são individualmente processados, baseando-se na perda auditiva e nos parâmetros de adaptação fornecidos pelo fonoaudiólogo.

Algorismos sofisticados nos aparelhos auditivos reduzem os efeitos desconfortáveis de sons altos e reduzem significativamente o ruído de fundo, aprimorando a percepção da fala. Eles também são capazes de melhorar as nuances da música. Todos os sons processados ​​são convertidos novamente em sinais elétricos para fornecer som natural ao usuário.

A energia para que os componentes do aparelho auditivo trabalhem é fornecida por baterias ou soluções recarregáveis. Aparelhos auditivos modernos também possuem sistemas wireless para sincronizar e otimizar o processamento de som binaural e estabelecer uma conexão direta com dispositivos externos, como TVs e Smartphones.

inoX-CIC_6C_TruCore_732